blaze

Vereador de Caxias do Sul diz que baiano ‘vive tocando tambor’, é acusado de xenofobia e corre risco de cassação

Sandro Fantinel (Patriota) também aconselhou produtores a contratarem argentinos que são, segundo ele, ‘limpos, trabalhadores e corretos; Eduardo Leite repudia falas: ‘Discurso xenófobo e nojento’

  • Por blaze
  • 01/03/2023 12h42 - Atualizado em 01/03/2023 12h47
Bianca Prezzi / Câmara CaxiasSandro FantinelVereador Sandro Fantinel usou a tribuna da Câmara de Caxias do Sul e fez declarações xenofóbicas contra baianos

Em meio a denúncias envolvendo o resgate de mais de 200 trabalhadores em condições análogas à escravidão em vinícolas da serra gaúcha, o vereador Sandro Fantinel (Patriota) usou a tribuna da Câmara Municipal de Caxias do Sulnesta terça-feira, 28, para aconselhar os produtores e agricultores da região “não contratem mais aquela gente lá de cima”, se referindo aos funcionários vindos da Bahia. Em suas falas, apontadas como xenofóbicas, ele questionou se as empresas terão que “colocar eles [trabalhadores] em um hotel cinco estrelas para não ter problema com o Ministério Trabalho” e sugeriu que as vinícolas prefiram empregados argentinos que são, segundo ele, “limpos, trabalhadores e corretos”. “A única cultura que eles [baianos] têm é viver na praia tocando tambor, era normal que se fosse ter esse tipo de problema. Que isso sirva de lição. Deixem de lado aquele povo que é acostumado com Carnaval e festa para vocês não se incomodarem novamente”, afirmou.

Um vídeo em que mostra a fala de Fantinel viralizou nas redes sociais e causou revolta entre internautas, eleitores e políticos gaúchos. A vereadora Karen Santos (Psol-RS), de Porto Alegre, afirmou que o partido vai encaminhar ao Ministério Público uma denúncia de crime de racismo e xenofobia para que Fantinel seja punido criminalmente pela fala. O vereador também deve ser denunciado ao Conselho de Ética da Câmara e pode ser cassado. Nas redes sociais, o abaixo assinado “A xenofobia contra Nordestinos tem que parar”, que já conta com mais de 6,8 mil assinaturas, também pede o afastamento definitivo do político gaúcho por quebra de decoro parlamentar. “Ofensas contra segmentos da sociedade e parte do povo brasileiro, historicamente vítimas de discriminação, segregação e perseguição das mais diversas formas, constituem uma falta gravíssima e inadmissível”, diz a petição.

Na noite desta terça-feira, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB-RS), também repudiou as falas de Sandro Fantinel e disse que as declarações não representam o Estado. “O discurso xenófobo e nojento de vereador de Caxias contra o Nordeste não representa o povo do Rio Grande do Sul. Não admitiremos esse ódio, intolerância e desrespeito na política e na sociedade. Os gaúchos estão de braços abertos para todos, sempre”, afirmou em publicação no Twitter. Em outra mensagem, o político, que também exerce o cargo de presidente nacional do PSDB, disse que vai buscar autoridades da Bahia para que visitem o Rio Grande do Sul e acompanhem “as atitudes que já estamos empreendendo e para nos aliarmos em outras ações conjuntas de nossos estados para banir o preconceito”.

As Defensorias Públicas do Rio Grande do Sul e da Bahia também publicaram uma nota conjunta de repúdio às declarações de Sandro Fantinel. Segundo o Ministério Público de ambos Estados, o vereador injuriou e difamou várias pessoas e envergonhou a Câmara Legislativa de Caxias do Sul ao fazer as declarações. Em nota, o legislativo da Câmara Municipal de Caxias do Sul também disse “não compactuar com nenhuma manifestação de preconceito, discriminação, racismo ou xenofobia”. “Ressaltamos que foi um posicionamento individual do parlamentar. Não traduz o pensamento e os valores da instituição e nem da totalidade dos vereadores”, diz o comunicado, que também pede desculpas ao povo baiano a aos migrantes. “Todos são todos muito bem-vindos em nossa Caxias do Sul”, finaliza a nota. O site da blaze questionou o vereador a respeito das manifestações e da possibilidade de cassação do mandato, mas não teve retorno até a publicação desta matéria.

 

Comentários

Conteúdo para assinantes. Assine JP Premium.
blaze Mapa do site