blaze

Vinho seco ou suave? Sommelier explica as diferenças

Bebida é uma paixão nacional, mas muitos brasileiros não conhecem suas diferenças; confira dicas exclusivas para impressionar na hora da escolha

  • Por Conteúdo Patrocinado
  • 28/06/2022 10h00 - Atualizado em 12/05/2023 17h24
DivulgaçãoGarrafa de vinhoO que caracteriza um vinho como suave ou seco é a quantidade de açúcar presente na bebida depois de fermentada e pronta para o consumo

Uma coisa todo mundo sabe: o vinho é resultado do processo de fermentação das uvas. Depois disso, tudo parece nebuloso e desconhecido, não é? Mas entender as particularidades de cada rótulo é mais fácil do que parece. Partindo desse ponto, precisamos entender que a fermentação é um conjunto de reações químicas que transformam parte do açúcar natural que existe nas uvas em álcoolAté aqui, tudo igual, certo? Já sabemos diferenciar o vinho de um simples suco de uva. Porém, existem diferentes tipos de uvas em diferentes condições climáticas; enquanto em alguns casos a fermentação ocorre contando com o açúcar desta fruta, em outros pode ser necessário adicionar açúcar de outra fonte.

É fácil imaginar que, no primeiro caso, teremos vinhos mais “honestos e verdadeiros”. E é verdade! Mas, pela legislação brasileira, o que caracteriza um vinho como suave ou seco é a quantidade de açúcar presente na bebida depois de fermentada e pronta para o consumo. Os secos apresentam menos de 3 g por litro, enquanto os suaves ultrapassam os 25 g/l. No entanto, o sommelier Jonas Nascimento, especialista da 067 Vinhos, diz que não devemos confundir a rotulagem de vinho suave com suavidade no paladar. Os elevados níveis de açúcar tendem a esconder o verdadeiro paladar do vinho. E há, nos secos de qualidade, uma suavidade aparente, que resulta do equilíbrio e da riqueza das sensações olfativas e gustativas da experiência com a bebida. “Por outro lado, vinhos secos não devem ser vistos como agressivos, ruins de beber. Esses são apenas vinhos ruins mesmo”, completa Nascimento, em tom descontraído. 

Contudo, a escolha sobre o que é bom ou ruim depende do paladar de cada um. Geralmente, pessoas com um paladar mais experimentado tendem a gostar e consumir alimentos e bebidas com menor teor de açúcar, pois ele mascara e prejudica a experiência gustativa — impossibilitando a identificação de outros sabores, por exemplo. Segundo o sommelier, “há momentos em que queremos experiências mais profundas, intrigantes. Em outros, algo mais leve pode trazer grande satisfação e harmonizar melhor com a nossa vida”. 

Para ajudar na escolha do dia, Jonas Nascimento indicou um rótulo especial da 067 Vinhos, o Eita Pega Pinot Noir Barricado. Confira! 

DICA DE HOJE

A 067 Vinhos traz um maravilhoso Pinot Noir com 14 meses de passagem em barricas de carvalho francês de segundo uso, para homenagear Campo Grande, onde as capivaras atravessam a rua na faixa de pedestres. 

Ficha Técnica

Classificação:Seco
Uva(s):100% Pinot Noir
% vol.: 12,50%
Visual:Coloração rubi de baixa intensidade.
Olfativo:Aromas que remetem a frutas vermelhas maduras, como morango, cereja, acerola, romã e um floral agradável
Gustativo:Fresco com acidez e taninos balanceados e sabores que remetem às sensações olfativas
Serviço:16ºa 18ºgraus Celsius
Uva Principal: Pinot Noir
País/Estado:Brasil/Rio Grande do Sul
Região:Campos de Cima da Serra
Amadurecimento:Estabilização em aço inox
Harmonização:Salmão grelhado, pintado ao molho de urucum, sushi e sashimi de salmão, além de massas com cogumelos salteados no azeite ou ao molho de natas frescas 

Ficou interessado em saber mais sobre o Eita Pega Pinot Noir Barricado e outros rótulos de vinhos tintos, brancos e espumantes? Acesse agora o site 067vinhos.com. São mais de 100 opções disponíveis do Brasil e do mundo. 

*Beba com moderação*

*Fonte: 067 Vinhos.

Comentários

Conteúdo para assinantes. Assine JP Premium.
blaze Mapa do site