blaze

Carnaval 2024: Cachaça, caipirinha e chopp lideram como produtos com os maiores impostos

Fantasias e máscaras de lantejoulas também têm tributos altos; levantamento da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) mostra os itens que mais pesam ao consumidor

  • Por Sarah Américo
  • 08/02/2024 17h29 - Atualizado em 09/02/2024 00h07
TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO CONTEÚDOcarnavalFantasias também estão entre os produtos com maiores impostos

Mais do que se preparar para festa e diversão, aqueles que pretendem tomar alguma bebida alcoólica para curtir o Carnaval também vão ter que preparar o bolso. Isso porque a caipirinha, o chopp e a cachaça, bebidas tradicionais dos brasileiros, estão entre os produtos mais tributados no Estado de São Paulo. Um levantamento realizado pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP) mostrou que a cachaça, que lidera o topo da lista, incorpora no preço da dose 81,9% em imposto. A caipirinha vem logo na sequência, com 76,7% de tributos no drink. Já o chopp, geralmente os mais pedidos, concede à Receita Federal 62,2%.

cta_logo_jp
Siga o canal da blaze News e receba as principais notícias no seu WhatsApp!

Caso você não consuma bebida alcoólica, os valores do tributo são menores, porém não há isenção. O levantamento também mostra que o refrigerante de lata incorpora 46,47%, o de garrafa vem logo depois, detendo 44,55% em imposto, e água mineral, grande aliada dos foliões, ainda mais no calor que tem feito no Brasil, dá à Receita Federal 31,50%. As fantasias também ficam de fora. Uma dica para economizar, segundo o economista da ACSP, Ulisses Ruis Gamboa, é abusar da criatividade e reaproveitar os looks anteriores. “Para quem não deseja desembolsar 36,41% em impostos nas fantasias, reutilizar ou usar a criatividade para não gastar na festa, pode ser opção dos foliões”, diz.

João Eloi Olenike, presidente executivo do IBPT, explica que a elevada tributação dos produtos consumidos no Carnaval deve-se ao fato de muitos deles serem considerados bens supérfluos, ou maléficos à saúde, ou de luxo, pelo legislador. “Também devemos nos atentar para a realidade de que no Brasil a tributação é muito concentrada no consumo, o que acaba elevando os preços dos produtos ao consumidor final e, muitas vezes, impede que este consuma mais e melhor”.

Confira abaixo a lista dos produtos mais tributados preparada pela ACSP:

  • Cachaça – 81,9%
  • Caipirinha – 76,7%
  • Chopp – 62,2%
  • Refrigerante (lata) – 46,47%
  • Colar havaiano – 45,96%
  • Óculos de sol – 44,18%
  • Refrigerante garrafa – 44,55%
  • Máscara de plástico – 43,93%
  • Cerveja artesanal – 42,69%
  • Cerveja (lata) – 42,69%
  • Cerveja garrafa – 42,69%
  • Máscara de lantejoulas – 42,71%
  • Biquíni com lantejoulas – 42,19%
  • Pandeiro – 37,83%
  • Fantasia – roupa tecido – 36,41%
  • Água de coco – 34,13%
  • Fantasia/roupa com arame – 33,91%
  • Biquíni – 33,44%
  • Água mineral – 31,50%
  • Passagem aérea – 22,32%
  • Preservativo – 18,75%

Comentários

Conteúdo para assinantes. Assine JP Premium.
blaze Mapa do site