blaze

STF suspende novo júri da boate Kiss após pedido do Ministério Público

Decisão do ministro Dias Toffoli antede a pedido do Ministério Público do Rio Grande do Sul; crime aconteceu em janeiro de 2013 e deixou 242 mortos e mais de 600 feridos

  • Por blaze
  • 10/02/2024 09h59 - Atualizado em 10/02/2024 10h00
LUCA ERBES/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOLUCA ERBES/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOMinistro do STF suspende novo júri da boate Kiss após pedido do Ministério Público para evitar tumulto processual

O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu o novo júri dos réus pelo incêndio da Boate Kiss, inicialmente marcado para acontecer em 26 de fevereiro. A decisão antede a pedido do Ministério Públicodo Rio Grande do Sul. Segundo Toffoli, um segundo júri poderia ter um resultado diferente do primeiro e causar “tumulto processual” se fosse realizado antes do julgamento dos recursos contra a anulação do primeiro julgamento. A anulação do primeiro julgamento ocorreu por decisão da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça gaúcho. Desde então, os quatro réus estão em liberdade, já que as condenações foram anuladas.

cta_logo_jp
Siga o canal da blaze News e receba as principais notícias no seu WhatsApp!

O incêndio na Boate Kiss aconteceu em janeiro de 2013, na cidade de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, e causou a morte de 242 pessoas, além de deixar mais de 600 feridos. As vítimas tinham, em média, 23 anos de idade. Os réus que seriam julgados novamente são Elissandro Callegaro Spohr e Mauro Londero Hoffmann, sócios da boate, Marcelo de Jesus dos Santos, vocalista da banda Gurizada Fandangueira, e Luciano Bonilha Leão, auxiliar de palco.

*Reportagem produzida com auxílio de IA

Comentários

Conteúdo para assinantes. Assine JP Premium.
blaze Mapa do site